domingo, 17 de maio de 2009

Homenagem ao Patrono da Escola - CIEP Brizolão 057 Nilo Peçanha Presidente Nilo Peçanha




Homenagem ao Patrono da Escola - CIEP Brizolão 057 Nilo Peçanha Presidente Nilo Peçanha
1909 - 1910
Nilo Procópio Peçanha. Nasceu em Campos - RJ em 2/10/1867 e morreu no Rio de Janeiro em 31/03/1924.
Filho de modesta família de Campos (RJ), bacharel em Direito (1887), foi o fundador do Clube Republicano em sua cidade natal. Deputado à Constituinte, Senador e Governador do Estado do Rio de Janeiro (1903), foi um dos signatários do Convênio de Taubaté.
Após a morte do presidente Afonso Pena, assumiu o Vice-presidente Nilo Peçanha. Durante o curto período de seu governo, foi criado o Serviço Nacional de Proteção ao Índio, cuja direção foi entregue ao então coronel Cândido Rondon, a quem tanto deve o país na obra de integração do selvagem brasileiro na civilização. Os silvícolas haviam sido esquecidos pelo governo desde a invasão portuguesa na América. Em 1967, o Serviço mudou de nome para FUNAI.
Apesar de ser um político de renome no Rio de Janeiro, sobretudo no norte do Estado do Rio de Janeiro (o nome Peçanha, seja com "ç" ou com "ss" até hoje é um nome respeitado em Campos e adjacências), morava na Cidade de Niterói por ocasião da posse, e teve que atravessar a Baía de Guanabara para assumir o cargo; claro que não faltaram brincadeiras, e piadas a esse respeito.
Em seu governo, foi assinado o tratado definitivo de limites fronteiriço entre Brasil e Peru, sendo ratificado em 1910. Essa foi mais uma das muitas que devem ser creditadas ao Barão do Rio Branco.
1a Crise do Café-com-Leite - No seu governo desenvolveu-se a campanha eleitoral do período seguinte, surgindo a primeira crise do café-com-leite. Os estados de São Paulo e Minas Gerais, que se alternavam no poder, não chegaram a um acordo acerca da sucessão presidencial. Isso ensejou o surgimento de uma oposição um pouco mais consistente. Dois candidatos se apresentaram: Rui Barbosa, defendendo o civilismo, isto é, a predominância civil no governo da República; e o marechal Hermes da Fonseca, elemento de prestígio no seio das classes armadas. Venceu o candidato militar. A República do Café-com-Leite (a alternância entre MG e SP) atravessaria dias difíceis.
Criou o Ministério da Agricultura; desmembrado do antigo Ministério da Viação e Obras.

Links sobre Presidente Nilo Peçanha:
www.senado.gov.br/web/historia/nilo.htm
http://elogica.br.inter.net/crdubeux/hpecanha.html
www.bairrodocatete.com.br/nilopecanha.html
www.republicaonline.org.br/html/pr/is_pr.asp?item=num8
www.afolhanet.com.br/biografias/nilo_pecanha.htm
http://www.cpdoc.fgv.br/nav_historia/%20htm/biografias/ev_bio_nilopecanha.htm
http://www.arquivonacional.gov.br/%20memoria/crapp_site/presidente.asp?rqID=9
Arquivo postado por Maria Aparecida Viana Barreto a partir da página: http://elogica.br.inter.net/crdubeux/hpecanha.html e http://br.geocites.com/ciep_nilopecanha/ .
Com fotos e trechos de textos retirados das páginas:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário